terça-feira, 1 de agosto de 2017

62 ANOS DA CRIAÇÃO DO IPA RIO PRETO

Entre os recintos para cumprimento de pena, a Colônia Agrícola, durante muito tempo foi considerada como um espaço em condições de auxiliar na tentativa de levar o preso ao retorno à sociedade. 


Fundamentou-se no regime semiaberto e na disposição de responsabilidade do apenado. Já que nas colônias era possível uma relativa liberdade para os presos, sendo a vigilância moderada, com os muros mais baixos. Transformando- se em um local de trabalho e aprendizado, onde poderia ser possível desenvolver um trabalho técnico de ressocialização.

PENAS PRÉ-CÁRCERE


Citamos aqui cinco terríveis penas existentes na história da humanidade, anteriores à pena de prisão.
_________________________________________________

  • A TORTURA DO RATO

A pessoa era posta sobre uma mesa de madeira e um recipiente com ratos era posto sobre seu abdômen, logo após o recipiente era extremamente aquecido e para fugirem do calor os ratos “cavavam” a barriga da pessoa.
___________________________________________________

PRISÕES NO MUNDO


Nos Estados Unidos a Prisão Federal de segurança máxima de Florence (ADX), está localizada em uma zona desértica montanhosa do Colorado, foi inaugurada em novembro de 1994. Lá estão os condenados por terrorismo e criminosos considerados os mais perigosos do país.

DIFERENÇAS ENTRE PENITENCIÁRIAS E COLÔNIAS AGRÍCOLAS, INDUSTRIAS E SIMILARES



As colônias agrícolas, industriais e similares são instalações voltadas para o regime semiaberto. Destinadas aos presos de pequena periculosidade e também aos que cumprem o estágio final da pena, as colônias penais agrícolas têm por objetivo reabilitar os apenados, por
meio da produção de alimentos

segunda-feira, 24 de julho de 2017

COLUNA MEMÓRIA ORAL

Com: Ademir Panciera

Meu nome é Ademir Panciera, entrei no sistema penitenciário em 1985. Comecei trabalhando no Instituto Penal Agrícola de São José do Rio Preto como guarda, depois exerci outras funções e passei pelo complexo penitenciário de Mirandópolis que foi extinto logo em 1992, dividindo-se a unidade em duas e eu fiquei na “Penitenciária I Nestor Canoa”, como diretor de qualificação profissional e produção, atualmente chamado de diretor de trabalho e educação. Ali eu tive uma experiência muito positiva, foi uma verdadeira escola enquanto servidor do sistema penitenciário.